antropologia hipotética

Uma História sobre os Grampeadores
André J. Torres

Imagine então que em algum universo por ai, por uma incrível ironia do destino, a humanidade convencional não desenvolveu os grampeadores. Pois bem. A mecânica quântica muito diverge sobre o desvio padrão dos almoxarifados e suas possíveis implicações exponenciais na história clássica da civilização. Contudo uma vertente budista da antropologia hipotética presume estatisticamente que a falta de grampos no decorrer dos séculos desencadearia, por fim, a completa destruição da democracia, do cristianismo e dos escritórios de advocacia, condenando o Império Galáctico a uma idade das trevas de anarquia e barbárie por quatrocentas gerações, além de duas a quinze guerras termonucleares. 
Demais pesquisas prosseguem em andamento.
E o que aprendemos com tudo isso? Absolutamente nada. Boa noite.

Nenhum comentário: